Limites Territorias Demarcados por Deus   Leave a comment

Extremismo dos dois lados do problema vão continuar impedindo soluções definitivas. São numerosos os militantes palestinos que jamais aceitarão a existencia do Estado de Israel, detro de qualquer fronteira entre o Mediterrâneo e o Rio Jordão. Continuarão lutando pela destruição completa do Estado judeu. Alegam que suas familias ocupam aquelas terras vários séculos e não poderiam ter sido expulsas para que judeus lá se estabelecessem.  Seguirão lutando contra a existência de Israel, com ou sem suicidios.

Extremistas judeus também vão longe na racionalização de seus atos: alegam que, conforme sua  interpretação do Antigotestamento, aquelas terras foram presentes de Deus a seu povo e (Gênesis 28: 13 e 14  e ou 12: 1 ,2 e 3 mais Gênesis 13: 14,15,16,17) não importa quem estivesse ali nos últimos séculos, os limites territorias demarcados por Deus lhes justifica a retomada da posse. Se não o fizerem, estaram desobedecendo a Deus. Esse argumento teológico é usado pelos colonos israelenses nos territórios ocupados como se estivessem se referindo a um documento imobiliário da prefeitura local. Foi um desses extremistas israelenses de direita, e não um palestino radical, quem matou a tiros o primeiro-ministro Yithak Rabin em 1995 , lider de um plano de paz e convivencia entre as duas comunidades. O assassino se declarou indiguinado com o que considerava concessões inaceitáveis de Rabin aos árabes.Primeiro ministro Isrelense Yitzhak Rabin

Yitzhak Rabin

http://pt.wikipedia.org/wiki/Yitzhak_Rabin

 

Se alguém sugere que a saida e a retirada completa de Israel dos territorios palestinos ocupados  em 1967, averá quem lembre ter sido exatamente essa a proposta oferecida a Yasser Arafat pelo governo de Ehud barak, em Camp David, há quase dez anos. Com o abafo quente do Presidente Bill Clinton no pescoço dos dois  lideres para que aceitassem esse acordo enquanto ele ainda estivesse na Casa Branca, o lider palestino Yasser Arafat recusou. Teve medo da reação das bases.

Um dos obstáculos maiores, segundo Arafat, era o direito de retorno dos palestinos que estão refugiados em outros países. São mais de quatro milhões, muitos deles reivindicando terras de onde sairam há meio séculos e que hoje fazem parte de Israel. O governo Barak negou esse direito e é improvável que qualquer líder israelense aceite o que considera suicidio demográfico. Os palestinos denunciam a contradição entre um Estado que dá a qualquer judeu, em qualquer parte do mundo, o direito de imigrar para Israel e, com ajuda oficial, ali se estabelecer para sempre. Mas nega o mesmo direito aos palestinos.

http://www.google.com.br/#hl=pt-BR&biw=1280&bih=933&q=ehud+barack+fotos&aq=f&aqi=&aql=&oq=ehud+barack+fotos&gs_rfai=&fp=3035c65b99df84ca

Solução não há. Existem paliativos que podem permitir uma convivéncia menos sangrenta, baseada em concessões dos dois lados. Mas têm de ser impostas à força por alguém de fora. Como foi feito nos acordos de Daytton, que desagradaram igualmente a bósnios, servios e croatas, mas acabaram com a Guerra na Bósnia, sob pessão dos EUA e ameaças de bombardeios aéreos.

No momento, para o conflito entre palestinos e israelenses, esse alguem de fora só pode ser o governo americano. É o unico em condições de reunir os dois lados e obrigá-los a aceitar um acordo que não vai agradar por completo às partes, um objetivo imposível. Fazê-las cumprir o acertado exigirá forte pressão militar americana, com mandato para passar fogo em quem não cumprir o acordo o que  certamente vai incluir extremistas dos dois lados.

http://www.google.com.br/#hl=pt-BR&biw=1280&bih=933&q=Acordos+de+deyton&aq=f&aqi=&aql=&oq=&gs_rfai=&fp=3035c65b99df84ca

Que possibilidade existe de que o governo de Obama leve à frente um acordo desses? Nenhuma.

 O governo Bush derrubou dois governos loucos do poder; afegão e iraquiano.

Da bíblia aos eventos da véspera, a referência á História serve de pretexto para bloquear qualquer tentativa de paz. Tudo depende de que fato histórico se escolhe para a discurssão. Tempos biblicos? A criação do Estado de Israel em 1948? O ataque imediato dos paises árabes visinhos contra o novo pais? as fronteiras que se definiram após este confrito ou as que surgiram após a Guerra dos Seis Dias em 1967? E a guerra de 1973?  E a provocação de Ariel Sharon ao visitaron  a esplanada da mesquita? E Moisés, e Maomé, e Jesus Cristo, e Abraão?

por:Silio boccanera

Minha conclusão:

Deus deu a terra para o povo  de Israel de forma incondicional. Mais eles iriam continuar  nas terras somente por sua fidelidade ao Senhor. Eles desobedeseram o Que fizeram com Deus  multiplas vezes  e apesar de longanimidade enorme, finalmente o Senhor concretizou sua palavra: Assiria e Babilonia levaram Israel cativa (Deuteronônimo 28: 1 a 68  e Levitico 26). Depois do exilio, porem, Deus prometeu fazer regressar  para terra prometida (Deuteronônimio 30: 5) Desde o retorno de Babilonia Isralel então viveu sempre sob dominio de algum Imperio. Vàrios  profetas, enviou Deus exortando e  aquela nação. Eis aqui os mais conhecidos: Jeremias , Isaias, Ezequiel,Daniel e por ultimo Jesus Cristo, que praticamente decretou: ” Eis que vossa casa ficará deserta… Eu lhes ganranto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas” Mateus 23:27 a 39), e assim aconteceu. No ano 70 d. C. o general Tito com o exército Romano conquistou e aniquilou a cidade de Jerusalém. Séculos antes do Senhor Jesus ter falo estes acontecimentos, já declarava o livro do profeta Daniel ( ver Daniel 9: 22 a 27);

Estava lá, nos livros de Moisés as profecias, os fatos ditos por Jesus a os judeus cegos de sua época e até hoje, continua escrito. Deus jà cumpriu a promessa de dar aterra aos descendentes de Abrão  e para deixar o povo voltar após o cativeiro. Em Cristo  se encontra a perfeição da herança  perpetua; O uso especial de Israel fisico cessou, e o povo de Deus se tornou um corpo unido, composto tanto de judeus como de gregos( ver Isaias 19: 16 a 25  e  19:25). O Israel de Deus incluem todos os servos dele independente de sua raça ou pais ( ver Gálatas 6:15 e 16,  Romanos 4: 11 a 17, Romanos 10: 12 e 13, Colossenses 3: 11 a 14). Não aceitaram o Messias, sem Jesus Cristo ( à perfeição) nem judeu nem gentio, hoje não tenhe direito a nada. Sem perfeição não há aliança, sem aliança não há herança perpétua.  

MAIS TUDO PODEMOS QUANDO RECONHECEMOS O SENHORIO DE JESUS CRISTO.

                mundomartins@  Everybody wants to rule the world

Publicado 25 de outubro de 2010 por mundomartins4766 em Notícias e política

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: